expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

"A verdadeira sabedoria para vivermos neste planeta, consiste em percebermos que este é um grande e frágil ser vivo, se pensarmos em relação a vastidão do Cosmos.

Cada planta e animal, faz parte de um complexo sistema de inter-relações onde a mais frágil das criaturas tem o seu papel para manter o equilíbrio e a vida na Terra.

Quando entendemos e assimilamos esta realidade para nossas vidas, tudo se torna compreensível, belo e sua interação com a natureza é plena."

24 de abril de 2017

NATUREZA ANIMAL

Podemos aprender muito acerca de nós mesmos com os animais. Embora o ser humano se considere uma criatura especial, confortavelmente instalado no topo da escala evolutiva, os nossos instintos básicos não são diferentes dos de muitas outras criaturas com quem dividimos o planeta. 
Os animais se concentram em viver plenamente o presente - algo que os sábios nos lembram constantemente de fazer para sentir a riqueza da vida. Os nossos companheiros de outras espécies devotam toda a sua atenção à necessidade de cada momento, seja ela se alimentar, brincar, procriar ou procurar abrigo, e estão livres das preocupações puramente humanas sobre o futuro. Características tão variadas como os nossos polegares oponíveis e a nossa capacidade de imaginar, e escrever, diferenciam-nos das outras espécies e mudaram a face do mundo, mas é importante lembrar que o Homo sapiens pode ser orientado de várias maneiras pelos outros animais.
Todas as espécies incorporam uma qualidade reconhecível na natureza humana. 
Observar formigas enfileiradas, transportando alimento de volta para o ninho, é algo que pode nos ensinar sobre a cooperação, o espírito do trabalho harmonioso que beneficia a todos. As asas tremulantes de uma libélula podem ser consideradas uma mensagem para que nos libertemos do reino da ilusão e busquemos a nossa própria expressão do que realmente somos. O voo de um pássaro cruzando o céu é uma lembrança da liberdade do espírito e pode levar a nossa mente a almejar novos patamares de imaginação ou de inspiração. Se nos sentimos amarrados, o movimento em ziguezague das andorinhas, o adejar suave das aves de rapina e a formação perfeita dos gansos no ar, que se orientam com base no campo magnético da Terra, podem elevar o nosso espírito e nos levar à solução dos nossos problemas. A beleza orgulhosa de um pavão abrindo a cauda e a delicadeza do beija-flor, podem nos lembrar da beleza magnífica que existe dentro de nós, assim como no mundo à nossa volta.
A independência do gato doméstico é um reflexo do espírito dos seus primos selvagens. A observação dessas criaturas pode ser um estudo sobre a graça e a força felinas e nos lembrar de que existe uma beleza inerente na capacidade de introspecção. A nobreza dos grandes felinos, como o leão e o tigre, está na capacidade que eles tem de harmonizar qualidades de poder, força e propósito. Os cães, como os seus primos lobos, são extremamente leais aos que eles consideram da sua família, sejam eles humanos ou animais, e nos ensinam sobre o poder da lealdade e da constância. Observe um cardume de golfinhos e você se verá envolvido num sentimento exuberante de liberdade e divertimento e poderá observar o espírito de cooperação em ação. A capacidade que a cobra tem de trocar de pele é uma mensagem para deixarmos o passado para trás e aceitarmos a mudança.
As borboletas e mariposas nos ensinam sobre transitoriedade. A vida de uma mariposa são dura mais que uma semana, às vezes apenas algumas horas. Algumas espécies de mariposas não tem boca, pois não vivem tempo suficiente para se alimentar. Essa breve existência é dedicada apenas à necessidade de perpetuar a espécie. As borboletas são um símbolo da transformação. Ao vê-las sair de um simples ovo, passando pela fase de larva e depois pela formação da crisálida, de onde emerge um frágil inseto alado, aprendemos que um começo humilde pode levar a uma beleza majestosa.
Se virmos cada criatura que encontrarmos como uma mandala natural, passaremos a ter mais respeito pela complexidade do equilíbrio ecológico e nos lembraremos das muitas facetas do nosso próprio ser a que podemos recorrer em qualquer circunstância. Se você quer saber qual é a melhor maneira de lidar com uma situação, deixe a sua mente vagar livremente e veja que animal surge na sua mente. A sua aparência ou comportamento característico ou o seu significado simbólico podem lhe dar a resposta que você procura.

23 de abril de 2017

OS ELEMENTOS

Na sociedade ocidental, temos a tendência de considerar só quatro elementos: Terra, Ar, Fogo e Água. Na cultura grega, Aristóteles (384 - 322 a.C.) atribuía propriedades a cada um desses elementos: a Terra era fria e seca; a Água, fria e úmida; o Fogo, quente e seco; e o Ar, quente e úmido. Esses quatro elementos estavam encapsulados dentro de um quinto - o Éter ou Quintessência. Os budistas também falam a respeito desse quinto elemento. Todos os elementos, é claro, são componentes essenciais da vida, mantidos em perfeito equilíbrio.
Você pode encarar os elementos como aspectos da sua natureza interior, assim como de forças exteriores. A Terra é o elemento que se relaciona à fisicalidade, à saúde, às posses materiais e ao trabalho. Do ponto de vista psicológico, o elemento Terra mantém você com os dois pés no chão e lhe proporciona um sentimento de estabilidade e segurança. O Ar é associado à mente, ao pensamento e ao intelecto, assim como à comunicação, pois ele é um veículo para o som. A Água simboliza a emoção, com a sua propensão para o fluxo e para transformar o terreno onde passa, ao mesmo tempo que se adapta à forma do recipiente onde está. O Fogo simboliza a paixão e a inspiração e, na sua capacidade de transmutar uma substância em outra, ele pode causar uma transformação prejudicial, purificadora ou alquímica.
O simbolismo dos elementos é usado nas tradições de cura orientais, assim como em sistemas divinatórios como o Tarô, a Cabala, o I Ching e a Astrologia. Ao meditar sobre os elementos, você pode entrar em contato com o significado simbólico que eles tem na sua psique e usar esse significado para promover uma transformação interior, provocar uma sensação de calma e descontração ou até melhorar a sua saúde. 

Texto extraído do livro: Mandalas da Natureza
Autora: Lisa Tenzin-Dolma

22 de abril de 2017

SALGUEIRO-CHORÃO

Eixo e estabilidade
Suba até os nossos mundos, bem alto, quase até o ponto que contém toda a vida em si mesmo. Aqui se concentra a quietude e daqui são irradiados planos e padrões. Daqui estendo um longo braço até cada chorão, cada salgueiro que há no mundo, incluindo-o nessa quietude e banhando-o com essa irradiação. Ele se torna uma entidade  distinta em si mesmo, mas apesar disso é parte da consciência invisível que eu sou. Grandes ondulações de energia emanam do meu ponto de quietude. Sim, tenho consciência de outros que participam disso de maneira similar, mas no centro propriamente dito o padrão é exclusivo, mesmo ao emanar para o exterior. Sim, sei que estou contido na Quietude maior; estou compartilhando esse nosso aspecto com você, esse lugar sagrado da Criação. Respire suavemente e não perturbe as delicadas linhas de força aqui na Fonte.
Como os seres humanos, temos muitos níveis de consciência. Venha agora comigo até a árvore no seu jardim. Sinta esse mesmo padrão enraizado e insistindo em ser. A resposta e o alinhamento não estão cem por cento, por não ser ainda uma árvore plenamente estabelecida, mas perseveramos e faremos com que seja. A consciência da árvore ainda está um pouco vaga. Dê amor a ela, porque sofreu um golpe, e o amor alivia e dissipa as complicações. Ela normalmente irradiaria um sólido bem-estar, mas ainda não o faz.
Mostramos a você o lado invencível da nossa natureza: a manutenção do padrão desde o centro até o espécime mais distante - distante porque a resposta às linhas de força foi alterada pelo transplante. Você sabe que somos os seres mais livres da Criação; temos mostrado a você como estamos também completamente ligados, tão integrados no nosso trabalho que nada nos poderia separar.
Sim, os seres humanos interferem como se nossos resultados pertencessem a eles, e enquanto vocês pensarem assim haverá cisão entre nossos dois mundos. Quando reconhecerem a grande e silenciosa Fonte de vocês, que é a mesma de todos, então tudo vai se encaixar, e o salgueiro, ou chorão, será perfeito no lugar perfeito, em toda parte.

Mensagem extraída do livro: O Chamado das Árvores