expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

"A verdadeira sabedoria para vivermos neste planeta, consiste em percebermos que este é um grande e frágil ser vivo, se pensarmos em relação a vastidão do Cosmos.

Cada planta e animal, faz parte de um complexo sistema de inter-relações onde a mais frágil das criaturas tem o seu papel para manter o equilíbrio e a vida na Terra.

Quando entendemos e assimilamos esta realidade para nossas vidas, tudo se torna compreensível, belo e sua interação com a natureza é plena."

8 de maio de 2016

OS ELEMENTOS

Na sociedade ocidental, temos a tendência de considerar só quatro elementos: Terra, Ar, Fogo e Água. Na cultura grega, Aristóteles (384 - 322 a.C.) atribuía propriedades a cada um desses elementos: a Terra era fria e seca; a Água, fria e úmida; o Fogo, quente e seco; e o Ar, quente e úmido. Esses quatro elementos estavam encapsulados dentro de um quinto - o Éter ou Quintessência. Os budistas também falam a respeito desse quinto elemento. Todos os elementos, é claro, são componentes essenciais da vida, mantidos em perfeito equilíbrio.
Você pode encarar os elementos como aspectos da sua natureza interior, assim como de forças exteriores. A Terra é o elemento que se relaciona à fisicalidade, à saúde, às posses materiais e ao trabalho. Do ponto de vista psicológico, o elemento Terra mantém você com os dois pés no chão e lhe proporciona um sentimento de estabilidade e segurança. O Ar é associado à mente, ao pensamento e ao intelecto, assim como à comunicação, pois ele é um veículo para o som. A Água simboliza a emoção, com a sua propensão para o fluxo e para transformar o terreno onde passa, ao mesmo tempo que se adapta à forma do recipiente onde está. O Fogo simboliza a paixão e a inspiração e, na sua capacidade de transmutar uma substância em outra, ele pode causar uma transformação prejudicial, purificadora ou alquímica.
O simbolismo dos elementos é usado nas tradições de cura orientais, assim como em sistemas divinatórios como o Tarô, a Cabala, o I Ching e a Astrologia. Ao meditar sobre os elementos, você pode entrar em contato com o significado simbólico que eles tem na sua psique e usar esse significado para promover uma transformação interior, provocar uma sensação de calma e descontração ou até melhorar a sua saúde. 

Texto extraído do livro: Mandalas da Natureza
Autora: Lisa Tenzin-Dolma

7 de maio de 2016

FLORES


As flores são um símbolo universal de beleza, juventude e delicadeza, mas em muitas culturas elas podem simbolizar inocência, paz, espiritualidade e a transitoriedade da vida ou o êxtase puro do paraíso. Representação do ápice da natureza, elas podem contrair numa imagem notável todo o ciclo de nascimento, vida, morte e renascimento. Mais relevante para a meditação, no entanto, é o simbolismo espiritual que certas flores carregam há milhares de anos.
O lótus, cujas raízes ficam no lodo e as lindas e imaculadas inflorescências nascem na superfície dos lagos, há muito tempo simboliza a iluminação - a capacidade que temos de evoluir a partir dos elementos escurecidos do eu material e de expressar a beleza da alma na nossa vida diária.

Texto extraído do livro: Mandalas da Natureza

6 de maio de 2016

REINO ELEMENTAL




Está na base da corrente evolutiva na Terra e trabalha em estreita colaboração com o reino dévico, que, sob certos aspectos, intermedeia o seu relacionamento com toda a vida planetária. O éter está intimamente ligado a esse reino, que se constitui de forças inerentes à substância mesma dos níveis de consciência e por isso está presente em todo o cosmos, nas diferentes etapas de sua manifestação, embora tenha maior relevo nas fases de materialização, no arco descendente do processo evolutivo. Quando estimuladas para o cumprimento de tarefas, essas forças tomam a forma de seres. Devido à atual densidade da Terra, a humanidade pouco sabe a respeito desse reino, apesar de ter alguma notícia acerca dos elementais da terra, da água, do fogo e do ar.


Extraído do livro: Glossário Esotérico