expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

"A verdadeira sabedoria para vivermos neste planeta, consiste em percebermos que este é um grande e frágil ser vivo, se pensarmos em relação a vastidão do Cosmos.

Cada planta e animal, faz parte de um complexo sistema de inter-relações onde a mais frágil das criaturas tem o seu papel para manter o equilíbrio e a vida na Terra.

Quando entendemos e assimilamos esta realidade para nossas vidas, tudo se torna compreensível, belo e sua interação com a natureza é plena."

29 de março de 2015

A AVENTURA DA COMUNICAÇÃO ENTRE ESPÉCIES - I


Para entrarmos em contato com outras espécies, nós não vamos para a natureza e começamos a comunicar. Nós precisamos de um preparo, porque a maioria das pessoas estão focadas no trabalho e nas questões do dia a dia, como também não fazem um treinamento intensivo para manter contato com seu Eu Interior. Elas descolam a atenção do Eu Interior e colocam a atenção no que estão fazendo e não conseguem ao mesmo tempo deixar a atenção focada no Eu Interior e no coração.
Segundo Sheila, quando se vai comunicar com um animal, é necessário alguns pré-requisitos e isso é um treinamento quando as pessoas estão realmente interessadas em aprender. 
Em geral quando a pessoa está sem energia, com baixo nível de energia ou que tem energia mas tem bloqueios é mais difícil conseguir uma boa e pura conexão. Portanto algumas coisas precisamos  praticar para termos um nível bom de energia. Se formos separar alguns pontos, seriam quatro:  O primeiro é a questão do sono, a qualidade do nosso sono é importante. O segundo fator é a alimentação, incluindo a parte líquida e a parte sólida. Se nós realmente queremos nos comunicar com os outros reinos e se aprofundar nisso, precisaríamos comer alimentos que elevassem nosso nível de energia. Tem  alimentos que tiram energia, tem alimentos que deixam no mesmo nível e outros que elevam o nível de energia. Isso é uma das coisas que obstrui os nossos canais sutis que é por onde flui uma energia mais sutil e nos permite ter percepções mais sutis. Há dois fatores para serem vistos: um é a questão que antecede o alimento físico, como você come. Hoje na sociedade moderna nós nos esquecemos de ser profundamente gratos ao alimento, não adianta o alimento ser ideal para a saúde se estamos comendo depressa, preocupados, falando, daquele jeito que não se deve comer. O alimento pode até não ser tão puro, mas  se a pessoa for muito pura, em suas intenções, se ela nunca esquecer de agradecer, isso ajuda. Como nós temos o alimento, tomamos como óbvio ter alimento, mas na verdade ter o alimento é uma graça. Se conseguirmos unir um alimento puro e com toda gratidão, isso vai ser muito bom. Quanto aos líquidos, é interessante andar com uma garrafinha de água. Com isso é possível perceber como se senti bebendo bastante água, talvez podemos descobrir que isso é muito bom para a limpeza. Isso não é uma regra, mas hoje em dia é preciso que nós tenhamos o hábito de beber mais água, para haver a purificação e não deixar acumular toxinas, sendo essas não só do ar e dos alimentos como outras que estão num ambiente mais sutil, pelas transformações que estão acontecendo no mundo. O terceiro fator seria sempre, todo dia, nós podermos ter uma atividade na qual a gente possa se colocar inteiramente com muita alegria. Pra cada nível de evolução é um tipo de atividade, até dançar é bom; fazer caminhadas na natureza; fazer um trabalho onde perceba que está sendo devoto, que esteja progredindo e envolvido num trabalho grupal...isso é muito bom. Estar envolvido em atividades prazerosas, de crescimento e que adicione energia ao nosso ser. O quarto fator é a respiração. Através dela podemos purificar todos os nossos corpos e muitos não sabem usar a respiração, como instrumentos para purificarmos o nosso ser. Observar os ritmos de respiração quando estamos mais felizes, mais quietos, observar como respira uma criança, um cão, um gato, entrar mais em contato com a respiração. Nós podemos entrar mais em contato com o nosso ser, para deixá-lo  mais sensível e afinado. 
Cultivar os pré-requisitos e manter hábitos de vida mais saudáveis, isso ajuda muito. É claro, no nível físico e depois  no nível dos pensamentos. Não é só cultivar bons pensamentos, mais de podermos criar um hábito de não se envolver tanto com os pensamentos. A função da mente é pensar, mas podemos com técnicas de meditação, não deixar com que os pensamentos tomem conta e sim deixá-los de lado sem dar tanta atenção. Abrir um "espaço vazio" onde é possível receber a comunicação.
Algumas pessoas já estão prontas para a comunicação, porém a maioria precisa se preparar para haver a comunicação entre as espécies.
Um outro treino, seria afinar nossa percepção. Podemos fazer entre pessoas e entre animais. Podemos fazer um treino para a percepção densa e percepção sutil e também para uma sintonia densa e para uma sintonia sutil. Para a  parte densa, por exemplo, encontramos uma árvore bem antiga, treinando com ela, só para entender a percepção densa e sutil. Se você parar em frente a uma árvore para observar, ao reparar quem é ela; seus traços, como é a casca,  folhas, galhos, em geral, a forma da árvore; essa é a percepção densa. Para a percepção sutil, deve-se escolher um ponto dessa árvore e trazer toda a atenção para aquele ponto, ter foco, ficar olhando e descobrir com os olhos físicos alguma coisa que não percebeu até então naquele foco. Nesse exercício muitas coisas acontecem. É preciso aquietar a mente.
Para se comunicar com um animal é preciso sentar com ele em um lugar quieto e que não possa haver alguma interrupção e ficar, sem passar a mão, sem ficar pensando que ele é bonito e isso ou aquilo. Aquietar e sentir a presença do animal sem fazer nada. Os animais tem uma presença muito pura e ficar com ele em treinamento, alguma coisa se abre para nós. 
Um ponto bastante desafiador para os humanos é se livrar de qualquer tipo de expectativa e um exemplo para se colocar aqui é que para testar a força interior de uma pessoa é fazer uma pergunta e a outra pessoa não responder. É possível verificar como fica a pessoa que perguntou. Na comunicação com o animal, ele pode responder, como não, além de também nem imaginarmos o que ele vai responder. Cada um vai ter sua experiência. Não há nada certo, nada é obvio. Precisamos ser muito puros na hora da comunicação, assim como as crianças.
Há duas condições em que não devemos conversar com o animal: uma é quando o animal estivar comendo e a outra é    sair do nível de acharmos que somos superiores (auto-reflexão) e passar a ver os outros reinos como diferentes e essa pequena palavra faz toda a diferença. Outro ponto importante é o silêncio. Falamos muito e muitas coisas inúteis. Deveríamos falar somente o necessário e assim reservaríamos energia para avançar em certas percepções que não são tão óbvias para nós. Nós não temos noção do quanto drena energia quando falamos demais. Toda palavra tem muito poder, tem muita força. Quanto mais for responsável pelas palavras, melhor será....cultivar o silêncio interior é muito bom para o nosso ser.
A Fé e a Devoção são dois fatores muito importantes para a comunicação entre as espécies. 
Todos nós temos uma essência pura e quando essa essência é acordada, ela pode se comunicar com essa mesma essência nos outros seres. Se ela está acordada, desperta ou mais límpida, o olhar da pessoa para o animal será diferente e uma pessoa conectada com seu ser interior frequentemente ela está se relacionando com os outros seres não só no nível  do corpo e da forma.
Estamos vestidos de ser humano e os outros seres (animal, plantas) estão vestidos de acordo com sua evolução aqui na Terra. Nas plantas tem espécies que mantem seres mais antigos , mais novos e entre os animais também. É preciso conectar com a essência.
Todo o propósito de comunicação é a evolução das espécies. Nós podemos ajudar um animal a evoluir mais rápido e ele pode elevar toda a espécie dele.
Não basta dar boas condições de vida a um animal. Quando se tem um nível de consciência e quer evoluir, pode passar isso ao animal, plantas, enfim os seres que estão a nossa volta.

Síntese da palestra da Sheila Waligora: A Aventura da comunicação entre espécies I
Para ouvir na íntegra: http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/6280

A AVENTURA DA COMUNICAÇÃO ENTRE ESPÉCIES - II

Há espécies animais que convivem mais próximas com o homem e portanto facilitam o intercâmbio de aprendizado.
Ouviu-se falar que os cavalos são os animais mais próximos de nós em evolução, do que os cães. Porém isso depende do grau de interação.
Os animais mais próximos são: os equinos, os cães, os gatos, os golfinhos, as baleias e os bovinos. Este último, pelo contato que o homem vem mantendo, não permite a verdadeira comunicação.
Os pássaros fazem parte de um setor de comunicação que não depende do contato humano.
Os golfinhos e as baleias são muito evoluídos. Alguns comunicadores dizem que as baleias provocam algumas situações como a de encalharem em certos lugares, com o objetivo de os humanos perceberem que precisam trabalhar juntos, em grupo, em prol de alguma coisa. Estão tentando ser o veículo de prova para os seres humanos. Estes se mobilizam muito com certas espécies. Existem espécies que tocam o coração e as baleias são uma delas...tocam o nosso coração.
Na comunicação  com os animais marinhos, nós não precisamos estar próximos deles fisicamente. Eles possuem uma vibração bem mais sutil e ao entramos em sintonia com eles, nós podemos nos comunicar.
Como é possível diferenciar quando estamos recebendo uma mensagem telepática de um animal dos  nossos pensamentos?
Precisamos antes distinguir o que é um pensamento da nossa mente, de uma real comunicação.
Deve-se haver uma preparação para existir a comunicação. Na prática da comunicação entre espécies existe um treinamento a ser feito. Uma das práticas é entrar num momento de pureza, tranquilo em que você está em paz, sem preocupação. Um momento onde não se quer nada, entrando assim em um espaço receptivo (sem estar esperando por algo), pronto para receber, sintonizar na estação receptiva. Então quando começa a treinar fica mais fácil detectar quando são nossos pensamentos ou quando é realmente uma comunicação. É importante focar a atenção. Todas as partes do nosso ser devem estar unidas. Assim é permitido ocorre a comunicação. Você faz a pergunta sobre alguma coisa e o animal lhe responde de forma límpida e maravilhosa. O trabalho na verdade se chama "trabalho telepático entre espécies ou entre reinos". Outra forma de confirmar a comunicação é quando o animal muda de comportamento instantaneamente. As perguntas devem ser muito claras para se fazer ao animal. 
Outro assunto importante é avisar antes, o animal quando vai ocorrer algum evento para tranquilizá-lo. Uma situação a se fazer, é se colocar no lugar do animal e imaginar como ele irá se sentir.
Um exemplo, é quando o animal é levado ao veterinário para ser castrado. Chega, abre o animal, mexe, fecha e pronto. Imagine se você fosse passar pela situação e ninguém o avisasse que seria operado? Na realidade isso é um grande desrespeito.
É preciso comunicá-lo com muito respeito e carinho, já que dentro dele também há uma centelha divina.
Como podemos ajudar os outros reinos de uma forma mais profunda, mesmo já evitando o consumo de carne e semeando espécies de árvores?
As árvores, por exemplo: "quando os humanos chegam até nós com a consciência de quem realmente somos, já estão ajudando".
Ter consciência expandida sobre quem são os outros reinos, saber qual é o verdadeiro papel desses reinos e ter respeito de uma forma mais abrangente pelas outras espécies, onde para os humanos deve começar no nível do pensamento. A manifestação na forma, na ação, vem depois.
Neste momento de transição planetária, muitas espécies querem se comunicar e ajudar os humanos com mensagens maravilhosas, porém ficamos fechados para este tipo de contato.
Os cachorros, por exemplo, eles já vem com o amor incondicional. E assim percebemos que nós como humanos, estamos de uma certa forma, atrasados em relação a forma de amar se compararmos como o cão se expressa.
A comunicação depende do trabalho no nível espiritual do ser humano, onde todas as qualidades estão sendo postas à prova. Fé, paciência, devoção, perseverança e outras.
O ser humano tem que perceber que existe um determinado momento em que ele tem responsabilidade com a vida. 

Síntese extraída da palestra "A aventura da comunicação entre espécies - parte 2" de Sheila Waligora.
Endereço eletrônico da palestra: http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/6279

28 de março de 2015

AS ÁRVORES





As árvores são poderosos condutos de energia vital sobre o planeta. Elas transformam o dióxido de carbono no oxigênio; o húmus das folhas caídas fertiliza o solo; e elas também são o habitat de pássaros, insetos e outros animais. As florestas tropicais são essenciais para o ciclo de chuva do planeta, chuva esta, fonte da nossa água potável.
São numerosos os mitos que tratam de árvores e alguns de nós ainda "batem na madeira" para afastar o azar.
No folclore druida, cada árvore tem a sua própria personalidade e símbolo, além de governar um mês do ano. O alfabeto druida, conhecido com ogham, consiste em 25 caracteres, cada um deles codificando um aspecto da sabedoria da árvore. Os arvoredos eram considerados templos naturais - lugares de meditação, contemplação, sabedoria e cura. Ao entrar num bosque ou arvoredo, com uma vida vegetal tão diversificada, o druida podia associar cada árvore e planta a muitos significados diferentes - um número, um mês, uma divindade, uma cor, uma estrela, um animal e um mineral. essas associações possibilitavam uma espécie de polinização pelo cruzamento da mente e dos sentidos, assim como facilitava a memorização. Para os druidas e outros adoradores da natureza, todas as árvores são sagradas e cada uma delas tem um simbolismo específico.
As árvores que incorporam a conexão entre as diferentes camadas do cosmos, produzem mandalas naturais fascinantes. As suas raízes estão cravadas na terra e muitas vezes se espalham, abrangendo a mesma extensão do solo que os galhos abrangem ao se estenderem em direção ao céu. As raízes simbolizam o eu profundo, a nossa fonte constante de nutrição, enquanto o tronco é um conduto para a  força vital, o corpo, que as raízes sustentam. Os galhos, com as suas folhas, flores e frutos, representam o desabrochar de todo o seu potencial e servem como antenas para a energia cósmica. Meditando sobre a árvore, você fortalece seu senso de completude e integridade.